Nº 1412 ano 2021
Data:

Principal Governo do Tocantins


Unidade Penal de Palmas passa por reparos nas fiações condutoras de telefonia após ação criminosa

As conexões serão reestabelecidas a partir da próxima segunda-feira, 12. Já as demais atividades administrativas no interior da Unidade Penal seguem normalmente.

Por: Divulgação
Publicada em: 08/04/2021 14h47min
Foto: Shara Rezende/ Governo do Tocantins
A ação criminosa foi identificada após a detecção de falhas no estabelecimento da conexão dos telefones institucionais da Unidade Penal.

Após a Unidade Penal de Palmas (antiga CPP de Palmas) ficar sem prestação de serviço telefônico por ação de vândalos, a equipe de suporte técnico iniciou na manhã desta quinta-feira, 8, os trabalhos de reparos nos cabos e fios condutores da rede telefônica.

Devido ao acontecimento, os atendimentos jurídicos de advogados e defensores públicos, que estão acontecendo por meio de videochamadas desde o anúncio da Pandemia, ficam suspensos durante o período de atividades da assistência técnica, devendo ser normalizados e restabelecidos a partir da próxima segunda-feira, 12. Já as demais atividades administrativas no interior da Unidade Penal seguem normalmente.

O diretor da Unidade Penal da Capital, Thiago Sabino, contou que a interrupção da prestação do serviço de telefonia foi causada por uma ação criminosa que está sob investigação para apurar quem são os envolvidos e que a detecção foi feita após os servidores terem dificuldade no estabelecimento de conexão dos ramais institucionais. Diante disso, as equipes de segurança da Unidade realizaram uma força tarefa para encontrar a falha e com o trabalho da equipe especializada foi identificado o rompimento de cabos que passam por uma das estradas às margens do estabelecimento penal.

Thiago Sabino reforçou que a gestão vem trabalhando constantemente em prol da segurança da Unidade e da excelência no atendimento ao público externo. “Nossa equipe está empenhada no cumprimento dos protocolos de segurança e estamos trabalhando para que nenhuma ação de vandalismo impeça o bom funcionamento do estabelecimento penal”, finalizou.