Principal Investigação


Suposto grupo de extermínio dentro da Polícia Civil é investigado pela Polícia Fedral

Cinco agentes de Polícia Civil tiveram prisões preventivas decretadas. Segundo a PF o grupo seria responsável por até 20 assassinatos

Por: Redação / Primeira Página
Publicada em: 22/06/2022 15h12min
Atualizada em: 22/06/2022 15h42min
Foto: Divulgação PF
Segundo as investigações, os alvos do grupo de extermínio eram ex-presidiários e investigados por tráfico de drogas.

A Polícia federal (PF) cumpriu mandados nesta quarta-feira, 22, para investigar um suposto grupo de extermínio dentro da Polícia Civil do Tocantins. Os mandados de busca e apreensão foram em 10 endereços ligados a agentes e delegados da polícia que atuam na Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos de Palmas (Denarc).

As investigações da PF apontam que os policiais programavam a morte de pessoas em um aplicativo de troca de mensagens. Os assassinatos aconteceram entre 2019 e 2020 e o grupo pode ter sido responsável por até 20 mortes. Os alvos eram ex-presidiários e investigados por tráfico de drogas.

Segundo a PF, o grupo ligado a Denarc usava a estrutura do estado para fazer grampos ilegais e plantar provas.

Cinco agentes da Policia Civil tiveram prisões preventivas decretadas. A autorização veio do colegiado de juízes do Tribunal de Justiça do Tocantins. Foram presos: Antonio Martins Pereira Júnior, Carlos Augusto Pereira Alves, Antônio Mendes Dias, Callebe Pereira da Silva, Giomari dos Santos Júnior.

A defesa dos investigados informou que os agentes se apresentaram voluntariamente e que após ter acesso aos autos será possível comentar o caso. Em nota a Secretária de Segurança Pública  (SSP) disse que a Corregedoria-Geral está acompanhando a operação e que irá se manifestar em momento oportuno.