Nº 1390 ano 2020
Data:

Principal Segurança Pública


SOMOS apresenta proposta de Mapa com dados da Violência em Palmas

A reunião foi presidida pela administradora e mestranda em comunicação, Thamires Lima, integrante do primeiro projeto de mandato coletivo de Palmas, do Tocantins e do norte do país.

Por: Eduardo Azevedo
Publicada em: 24/09/2020 10h35min
Foto: Divulgação
Mapa interativo será disponibilizado no site do SOMOS, que tem a proposta de um mandato coletivo para as eleições 2020.

Na tarde desta terça-feira, 23, o SOMOS, realizou uma reunião virtual por meio  da plataforma Google Meet, com mulheres integrantes da sociedade civil palmense para apresentar o Mapa de Violência que está sendo elaborado pelo coletivo. A reunião foi presidida pela administradora e mestranda em comunicação, Thamires Lima, integrante do primeiro projeto de mandato coletivo de Palmas, do Tocantins e do norte do país.

Durante a reunião, Thamires, que teve a iniciativa de elaboração do mapa, com auxílio do estudante de arquitetura e urbanismo, Pedro Igor, apresentou dados referentes aos anos de 2019 e 2020, contendo informações sobre estupros, estupros de vulnerável e roubos no município de Palmas. Também foi discutida ações de como funcionará o acesso a esses dados em um site do Movimento, que será lançado nos próximos dias.

“Inicialmente queríamos fazer um Mapa voltado para os crimes cometidos contra mulheres na nossa cidade, mas não conseguimos os dados por gênero. Com as informações que tivemos acesso construímos um Mapa, com total apoio do nosso amigo Pedro Igor, com os dados gerais recebidos da SSP. Ainda não é o que queremos, mas já foi um ponto de partida para avançarmos no nosso projeto de fazer políticas públicas de forma eficiente”, disse.

Entre os pontos destacados para avançar nessa política pública de combate a violência, principalmente a que ocorre contra a mulher, está um melhor detalhamento de dados, como inclusão de gênero, nome social e idade; cuidado ao comunicar que a violência não acontece nos lugares sem ocorrência no mapa, porque a violência muda de lugar; Geração do mapa por camadas, com mais variáveis, como geolocalização dos crimes (na rua ou em casa), entre outros pontos. O objetivo é o de fazer uma oficialização aos órgãos competentes, para que seja ampliada a disponibilização de informações e, consequentemente, que eles sejam lançados no Mapa.

Durante a reunião, também foi debatido os principais pontos que precisam ser estabelecidos para que o Mapa seja mais dinâmico, representativo, eficiente e que possa auxiliar também as forças de segurança de Palmas.

A reunião contou com a participação da Comandante da Patrulha Maria da Penha, Capitã Flávia Roberta Pereira, que atua na proteção, prevenção, monitoramento e acompanhamento das mulheres vítimas de violência na capital. Para ela a criação de um mapa que venha a combater a violência contra a mulher, é uma iniciativa muito interessante e importante. 

“O fato do mapa alertar a mulher acerca dos locais que mais acontecem certos tipos de crimes como o estupro, por exemplo, pode ajudar a manter sua a integridade e até sua vida. Então, toda ação que vise aumentar a segurança da mulher é de extrema importância e necessidade,” ressaltou.

Dados

De acordo com informações disponibilizadas pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-TO), em 2019 ocorreram 53 estupros; 68 estupros de vulnerável; 2.136 roubos e 60 homicídios em Palmas. Em 2020, até o mês de agosto, ocorreram 30 estupros; 45 estupros de vulnerável; 924 roubos; e 59 homicídios na Capital.

Mapa da Violência

Com o intuito de fomentar políticas públicas de proteção a população, o mapa virtual elaborado pelo SOMOS contém dados disponibilizados pela SSP-TO, que foram distribuídos por meio da tecnologia de georreferenciamento entre as quadras da capital. O objetivo inicial era o de criar um Mapa da Violência de combate a violência contra a mulher, mas o coletivo não recebeu do órgão oficial os dados por gênero. 

Na reunião foi apresentado o Mapa com os dados disponíveis e também foi definida diretrizes para que seja ampliada a disponibilização de informações, principalmente que auxiliem no combate a violência contra a mulher. Este primeiro Mapa traz apenas informações sobre os lugares onde ocorreram alguns tipos de crimes (estupro, estupro de vulnerável, roubos e homicídios) em 2019 e 2020. 

É importante ressaltar que nos locais do Mapa onde não há registros, não quer dizer que não possam ocorrer crimes, pois a violência pode mudar de lugar. É preciso que todas e todos tenham consciência, fiquem alertas e tenham atenção em todos os lugares.