Nº 1394 ano 2020
Data:

Principal Saúde Pública


Secretária de Saúde apresenta pontos de atendimentos para terapia antiveneno no Tocantins

Acidentes por animais peçonhentos é o terceiro agravo mais notificado no Tocantins.

Por: Divulgação
Publicada em: 19/11/2020 15h52min
Foto: Divulgação
Hospital Geral de Palmas.

A Área de Zoonoses e Animais Peçonhentos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), alerta a população sobre as incidências relacionadas a animais com estas características e apresenta lista de unidades de saúde capacitadas para realizar o tratamento dos acidentados. O tratamento é realizado com a utilização de soro antipeçonhento específico para alguns casos, como de serpentes, aranhas, escorpiões e alguns tipos de lagartas, de forma mais célere.

Atualmente, 32 municípios do Estado do Tocantins contam com um total de 37 unidades de saúde, que atuam como Pontos de Atendimento para terapia antiveneno. Estas unidades de saúde servem como unidades de referência para a administração de soros antipeçonhentos, abastecidas e munidas de equipe médica qualificada para o atendimento de pessoas acidentadas por estes tipos de animais. É muito importante que a população tenha conhecimento sobre quais municípios estão localizadas estas unidades, para que o tratamento seja realizado no menor tempo após o acidente.

Não existe soro específico para todos os animais peçonhentos e os principais encontrados nas unidades, são para os acidentes causados por serpentes, escorpiões, aranhas e lagartas do gênero "Lonomia". No entanto, vale ressaltar que para os demais animais peçonhentos, não existe soro específico para a neutralização de seus venenos (arraias, abelhas, marimbondos, lacraias, formigas). O tratamento para esses casos é realizado conforme a sintomatologia do paciente e pode ser feito em qualquer unidade de saúde.

A responsável pela área de Zoonoses e Animais Peçonhentos, Iza Alencar explica que “adotar medidas de cuidados e prevenção de acidentes é a forma mais eficaz para diminuir o número de casos no Estado. Possuímos 37 unidades de saúde, distribuídas por todo o território, que estão devidamente capacitadas para realizar o tratamento dos acidentados”.

A terapia antipeçonhenta quando realizada em tempo oportuno evita agravamento do quadro de saúde dos acidentados como evolução com necrose, amputação de membros, hemorragias e até mesmo o óbito do paciente. Cabe aos municípios, garantir o encaminhamento e o transporte oportuno dos indivíduos acidentados por animais peçonhentos para o ponto de atendimento mais próximo de seu município, de acordo a sua região, visando assegurar que a terapia antiveneno seja realizada no menor tempo possível.