Nº 1406 ano 2021
Data:

Geral Pandemia


Seciju mobiliza ação para emissão de documentação civil básica de custodiadas da UPF de Palmas

Ao todo, 18 mulheres privadas de liberdade tiraram fotografias 3x4 na própria Unidade, que serão utilizadas para emissão de RG e CPF.

Por: Divulgação
Publicada em: 22/02/2021 14h59min
Atualizada em: 01/03/2021 10h34min
Foto: Lauane dos Santos – Governo do Tocantins
Equipe de assistência social e segurança da Unidade e da Seciju organizaram a ação para fotografar 18 custodiadas.

Toda pessoa tem o direito de exercer a sua cidadania. Tendo isso como princípio, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça, por meio da Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional, iniciou uma ação conjunta para emissão de documentos de custodiadas da Unidade Penal Feminina de Palmas (UPF), na manhã desta segunda-feira, 22. Ao todo, 18 mulheres privadas de liberdade tiraram fotografias 3x4 na própria Unidade, com o apoio da Assessoria de Comunicação, que serão utilizadas para emissão de RG e CPF, em parceria com a Diretoria de Direitos Humanos e Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Conforme Rízia Vieira, responsável pelo departamento de Assistência Social da Gerência de Assistência Educacional e Saúde ao Preso e Egresso, o primeiro passo para exercer a cidadania é a emissão dos documentos. "Para efetivar o trabalho de reintegração social, com inclusão em cursos profissionalizantes, ensino, trabalho e renda, é preciso ter os documentos básicos e como muitas entram na Unidade até mesmo sem certidão, essa ação se faz necessária para garantir que exerçam a cidadania e tenham seus direitos básicos resguardados", afirmou.

A assistente social da UPF, Aline Glese Marçal explicou que a demanda foi percebida durante as triagens feitas pela equipe. "Vimos que a maioria não tem a documentação básica e isso dificulta o acesso aos demais direitos, à rede de serviços socioassistenciais, dificulta na hora de inscrevê-las em programas educacionais. Por isso, esporadicamente fazemos o levantamento dentre as custodiados para garantir essa emissão de RG e CPF", completou.

A W. S. S., de 22 anos, perdeu seus documentos há cinco meses, dificultando o acesso aos serviços ofertados tanto dentro da Unidade quanto após finalizar o cumprimento da pena estipulada. "É ótimo pra mim porque terei a segunda via da minha documentação e vai facilitar para usar em cursos e estudos fora daqui", completou.

As fotografias, tiradas com o suporte da equipe de assistência social e segurança da UPF, serão enviadas para impressão pela Diretoria de Direitos Humanos e, posteriormente, emissão da documentação pela SSP ao serem solicitadas via ofício pela direção da Unidade Penal.