Principal Aceitação


Opinião: A vida só melhora quando você aceita o fim

Por: Divulgação
Publicada em: 22/06/2022 15h44min
Atualizada em: 22/06/2022 15h48min

 

Quando um relacionamento acaba e nós não estamos prontos para termina-lo, costumamos tentar consertar a realidade para voltar à antiga. Ignorando todos os motivos do outro para o fim, pedimos para voltar, tentamos conversar, pedir desculpas, fazer declarações de amor eloquentes para convencer o ex a não terminar. 

Mas quando isso não dá certo, então sobra apenas as dúvidas deixadas pela rejeição: "O que eu fiz de errado? Será que eu não era bom o suficiente para essa pessoa? Por que ela me deixou?" Essas e outras inseguranças ocupam a cabeça de alguém que saiu machucado de um relacionamento. Em casos mais extremos, a pessoa que não aceita o fim, parte para fins mais extremos como perseguir e cobrar satisfações do ex. 

Lembrando que, uma pessoa emocionalmente abalada, nesse período, tem a tendência de tomar as piores decisões possíveis.

Porque a aceitação é necessária

Fazendo isso, você ignora totalmente os motivos e sentimentos do outro, que certamente não estava feliz nessa relação e tomou uma atitude. Porém, a dependência afetiva de outra pessoa não a deixa aceitar a realidade e seguir em frente, e quanto mais você insistir em voltar para essa realidade falida, não será feliz.

Isso porque a cada vez que você insiste em pedir mais chances, mais você aumenta a rejeição que essa pessoa sente por você. Rejeição essa que aumenta a cada pedido seu de voltar, até se tornar repulsa, quando até a simples menção ao seu nome, desperta gatilhos de repulsa e reatividade no seu ex. 

Mas a pergunta principal é: Como evitar isso? Não somente pela reconquista, mas também para manter o respeito e o convívio com a pessoa amada. Para isso, após o término ao invés de ir imediatamente tentar reverter o fim, você vai precisar parar para refletir sobre tudo que aconteceu. Considere esses pontos:

Se o relacionamento acabou, é porque precisava acabar. 

Se você fala: "Dyuly, eu não sei qual foi o motivo, nós estávamos bem e do nada a gente terminou", é porque você não está analisando sua relação e como ela chegou até esse ponto.

Talvez esse não seja o seu ponto de vista, mas do seu ex. Na maioria das vezes, o que acontece nas relações, é que um lado fica tão confortável com a situação que não enxerga os incômodos do outro. Por estar tão envolvido e contente com o que está vivendo, mesmo que seja apenas o básico, um dos lados não se esforça para manter o sentimento vivo. Já a pessoa insatisfeita tem que aceitar as condições para não incomodar o outro. Mas a verdade é que dessa forma os problemas só aumentam, principalmente a distância entre o casal. Os dois se tornam frios, acomodados e infelizes. 

Então sim, foi necessário que acabasse, para você cair na realidade do outro, enxergar seus erros, talvez sair de uma dependência afetiva, até encontrar a melhor maneira de se relacionar. Assim, você finalmente abre espaço para crescer. Por isso é tão importante aceitar o fim do relacionamento, entender isso para depois você começar o processo de desenvolvimento pessoal.

Essas análises internas são o verdadeiro desenvolvimento pessoal. Enquanto muitos vão atrás de melhorar apenas o físico com academia, cabelereiro, plásticas etc. esperando uma vingança contra o ex ou tê-lo de volta. Como se relacionamentos fossem um eterno jogo de ter uma revanche. O ser humano tem essa tendência de querer agradar o outro e fingir ser o que não é. Saiba que isso não funciona, ou se funcionar vocês irão terminar novamente em breve. Quando na verdade, a rejeição do ex veio da pessoa que você se tornou durante o relacionamento, então isso tem como ser mudado. Tanto a rejeição do seu ex como o comportamento que causa esse sentimento. 

O que aconteceu no seu relacionamento precisa te ensinar algo, assim você vai poder evoluir. Não se amadurece enquanto você continuar preso em algo que já acabou. 

E depois de aceitar o fim? 

Depois desse processo de autoavaliação, cura dos sentimentos e aceitação, a decisão é totalmente sua. Se você quiser reconquistar, é possível, se não quiser, agora seus caminhos estão abertos. Mas para quem quer reconquistar, a aceitação é obrigatória, porque não estamos buscando voltar ao relacionamento anterior como ele era, e sim construir um novo.

Para construir novo, agora que já deixamos o passado, precisamos corrigir o presente para construir um futuro relacionamento. Então, quais são seus pontos fracos? E fortes? Quais são as feridas emocionais que precisam de mais tempo para curar? Quais hábitos tóxicos você precisa abandonar? 

Mas obviamente, o foco aqui não é o seu ex, você não deve fazer isso pelo outro apenas, e sim por você. Porque a felicidade do outro no relacionamento importa para você também ser feliz. Um relacionamento extraordinário é feito por duas pessoas felizes, não somente uma. Quando você começa a abandonar os maus hábitos, vai se amar mais e ser feliz sem estar em relacionamento nenhum. 

Por isso a segunda coisa que você precisa entender é que tudo isso é por você e sua felicidade. Esse afastamento e pausa servem para te auxiliar no controle emocional, você vai mudar e evoluir. Não quer dizer que você vai ser uma pessoa que você não é, ou que você vai fazer uma encenação só pra agradar a pessoa. Porque após tudo isso, você merece viver um relacionamento de verdade, sem que isso seja uma tortura. 

Portanto, se você entende e cuida de si, aprende a refletir antes de cada ação e mudar sua postura. Falo isso pois, se você tiver confiança em si mesmo e focar no futuro. Assim, você terá as opções na palma da sua mão, se você quer reconquistar seu ex e construir um novo relacionamento. Ou quer começar do zero com uma nova pessoa e uma nova história. Mas essa escolha só é possível para quem realmente desenvolveu sua melhor versão e encontrou o jeito certo de se relacionar. O resto só está pulando de uma relação para outra sem pensar nas consequências.

Espero que consigam seguir meus conselhos.

Até a próxima,

Dyuly Cardoso 

Coach Especialista em relacionamentos e desenvolvimento pessoal