Nº 1346 ano 2020
Data:

Principal Sindicato x OAB


OAB fala em "impedimento da livre advocacia" e ingressa com ação judicial contra Sisepe

Caso teve início quando Sindicato afirmou que iria contestar sindicalizados que ingressarem com ações individuais, ao invés de fazerem o procedimento através do setor jurídico do sindicato.

Por: Dani Braga
Publicada em: 12/02/2020 17h05min
Foto: Divulgação
Presidente da OAB/TO, Gedeon Pitaluga, informou que a Ordem não permitirá nenhuma tentativa de restrição ao exercício da advocacia.

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins entrará com ação judicial contra o Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe) pela tentativa de impedir o livre exercício da advocacia.

O presidente da OAB/TO, Gedeon Pitaluga, com a autorização do Conselho Seccional, declarou que a Ordem não permitirá nenhuma tentativa de restrição ao exercício da advocacia no Tocantins. 

“É inadmissível essa tentativa escancarada de cercear o livre exercício da advocacia. Primeiro é preciso esclarecer que a única entidade responsável por disciplinar a atuação profissional da advocacia é a OAB, de forma independente e institucional. Nenhum sindicato ou entidade classista pode obrigar seus associados a contratar o departamento jurídico ou determinado escritório prestador de serviço”, destacou Pitaluga. 

O presidente da Ordem ainda ressaltou que é direito do cidadão contratar o advogado ou advogada de sua preferência e confiança. Não cabe a nenhuma outra entidade fixar custo relativo ao ingresso de ações e impor os prestadores de serviço de sua preferência aos associados. 

Isso se deve a posição do presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro, de afirmar que irá contestar todos que ingressarem com ações individuais, ao invés de fazerem o procedimento através do jurídico do sindicato, nos casos relacionados à restituição de valores de referentes ao 13º salário e férias proporcionais de servidores estaduais demitidos em 2008. 

O presidente da OAB/TO também recomenda que todos os advogados que ingressarem com ações particulares no caso e que tiverem as ações contestadas por parte do Sisepe, devem procurar a Ordem e noticiar o fato para que sejam tomadas medidas cabíveis, judiciais e ético-disciplinares.

Comentários

Deixe um comentário