Nº 1422 ano 2021
Data:

Geral DESESPERO


Desaparecimento da menina Saphira em Palmas completa 12 dias e mãe faz apelo por informações da Polícia Civil

Segundo a mãe da menina, Suzana Ferreira, uma mulher que estava num ônibus coletivo na região Sul, teria visto uma criança que se parece com Saphira, dentro do veiculo, com um homem que tinha um comportamento suspeito em relação à criança.

Por: Karina Custódio/Redação
Publicada em: 08/06/2021 11h49min
Atualizada em: 17/06/2021 17h47min
Foto: Arquivo Pessoal
Suzana Ferreira está há 10 dias sem notícias da filha de 10 anos.

Com apenas dez anos, Saphira Ferreira está desaparecida em Palmas desde o domingo, dia 30 de maio. Durante os doze dias de espera a mãe da menina, Suzana Ferreira, sofre com diferentes versões do paradeiro da filha e reclama de falta de informações por parte da Polícia Civil. O caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia Civil de Palmas. 

Conforme Suzana, há pistas de câmeras que tenham captado a imagem da menina, mas a mãe não tem essa informação confirmada. “Tem câmeras, que nunca foram reveladas e eles têm que agilizar mais isso, tem que ver se era ela mesma”. Os vizinhos contam uma série de versões que podem explicar o desaparecimento, mas até agora a família segue sem informações.

Segundo a mãe da menina, Suzana Ferreira, uma mulher que estava num ônibus coletivo na região Sul, teria visto uma criança que se parece com Saphira, dentro do veiculo, com um homem que tinha um comportamento suspeito em relação à criança. Há câmeras dentro dos ônibus coletivos em Palmas. 

O homem teria sido questionado por essa mulher e por outros passageiros sobre a situação, e ele disse que era o pai da menina, tendo em seguida descido com ela na próxima parada. Este relato foi feito na terça-feira, dia 01 de junho, dois dias depois do desaparecimento de Saphira, que ocorreu no domingo, dia 30 de maio. 

Quem souber de qualquer informação que possa ajudar na busca por Saphira, pode entrar em contato com a Delegacia de Polícia mais próxima, ou fazer um telefonema para a sede policial, e se não quiser ser identificado, não há necessidade. Também pode ligar para o fone 63 9 9101-5572. 

 

Saphira foi vista pela última vez na calçada de casa no Setor Morada do Sol I, na região Sul de Palmas, as 10 horas do dia 30, a mãe relata sua reação ao perceber o desaparecimento da filha: “Quando eu vi que ela não estava em casa, que o caso era sério mesmo eu desesperei, pensei que ela estava morta”. 

O Centro de Defesa das Crianças e Adolescentes Gloria de Ivone - CEDECA, afirma estar acompanhando o caso, e tem atuado junto à Rede de Proteção verificando quais medidas foram adotadas para dar apoio psicossocial à família, conforme é determinado pela Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas.

Suzana Ferreira afirma que não recebeu apoio psicológico do governo municipal ou estadual, mas que o apoio de vizinhos e das orações tem lhe oferecido conforto.

Outro caso de desaparecimento que não foi solucionado em mais de cinco anos pelas autoridades do Tocantins, foi o da menina Laura Vitória, que tinha apenas 09 anos quando desapareceu também na região Sul de Palmas, no dia 09 de janeiro de 2016. 

O jornal Primeira Página questionou a Secretaria de Segurança Pública sobre o andamento das investigações feitas pela Polícia Civil e a Secretaria enviou a seguinte nota:

"A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Diretoria de Polícia da Capital, informa que a Delegacia Especializada de Polícia Interestadual, Capturas e Desaparecidos (Polinter) é a unidade policial responsável pelas investigações sobre o caso. Ressalta também que já foi instaurado Inquérito Policial e realizadas diversas diligências desde o dia do registro do desaparecimento, as quais não podem ser explicitadas no sentido de não atrapalhar as investigações em curso.

A polícia civil reafirma seu comprometimento com a sociedade tocantinense e ressalta que todos os esforços estão sendo envidados para que o caso seja em breve solucionado com o objetivo de pôr fim a angústia dos familiares da criança desaparecida".