Nº 1422 ano 2021
Data:

Geral PANDEMIA


Crise de medicamentos: distribuidoras garantem medicamentos ao setor hospitalar

No atual cenário de escassez, distribuidoras de medicamentos se desdobram para atender o mercado brasileiro.

Por: Divulgação
Publicada em: 07/06/2021 8h26min
Atualizada em: 14/06/2021 16h10min
Foto: Divulgação
Carregamento de medicamentos hospitalares.

A falta de medicamentos hospitalares para o tratamento de pacientes internados com Covid-19 parece estar longe de chegar ao fim. Nos últimos meses, especialistas do setor alertaram sobre o iminente colapso do sistema de saúde, devido ao aumento de casos registrados pelas autoridades.

Se, por um lado, a taxa de internação e mortalidade de pessoas idosas vem diminuindo, em decorrência das campanhas de vacinação, por outro, a proporção de jovens e adultos internados em UTIs está aumentando, visto que essa camada da sociedade continua à espera na fila de imunização.

Tamanho índice de internações requer, além de mais profissionais de saúde, remédios hospitalares do chamado “kit intubação”, utilizados para intubar e manter um paciente em ventilação mecânica.

O problema da distribuição

A escassez desses fármacos acendeu a luz vermelha para o problema da distribuição e estoque de medicamentos no Brasil. Convidamos o executivo Jabez Medeiros, do setor de medicamentos, para discorrer sobre o tema:

“Mais do que a simples falta de medicamentos, o problema que está ocorrendo no Brasil está relacionado às questões de distribuição, logística e estoque. É um problema de gestão, que envolve desde gestores de hospitais até entidades governamentais. ”

Medeiros explica que, diante da falta de medicamentos e insumos no mercado nacional, é preciso garantir os recursos por meio da importação de medicamentos, o que, até então, não era uma prática essencial aos gestores.

“Estamos diante de uma pandemia sem precedentes no mundo moderno, o que exige atitudes rápidas e certeiras. Os medicamentos estão em falta no Brasil, mas há diversos fornecedores estrangeiros com estoque para atender às nossas necessidades”.

Medicamento importado: Propofol.

Gestores e distribuidoras

Perguntado sobre as maiores dificuldades enfrentadas atualmente por gestores de hospitais, Medeiros conta um pouco sobre os bastidores do seu trabalho em contato com esses profissionais.

“A pressão sobre os administradores é altíssima, imagine só a gama de decisões que esses profissionais precisam tomar a todo instante. Uma escolha errada ou tardia pode desencadear situações desastrosas na vida de muitas pessoas, então, observo que os bons gestores estão procurando se antecipar aos eventos por meio de um planejamento robusto, a fim de prover os medicamentos do kit intubação e tantos outros utilizados diariamente nos hospitais. ”

Outro problema enfrentado pelos gestores, segundo Jabez, é a dificuldade de encontrar importadoras e distribuidoras capazes de suprir a demanda, visto que os administradores de pequenas cidades, e/ou com pouca experiência, se veem perdidos quando o assunto é recorrer ao mercado internacional:

“É fato que temos um desabastecimento no país, e o meu trabalho é justamente fazer a ponte entre gestores e distribuidoras internacionais. Num primeiro momento, os administradores atrasam suas ordens de compra por não encontrarem os canais corretos. No entanto, uma vez que essa relação é estabelecida entre as partes, a insegurança e o medo se transformam em planejamento antecipado e cronograma cumprido, o que é o desejo de todos nós como cidadãos. “

Facilidade para gestores de hospitais

Acesso a medicação importada

Um formulário para pré-cadastro de instituições que buscam antecipar-se ou para hospitais que estão em emergência na busca de medicamentos foi disponibilizado pelo executivo, visando uma rápida comunicação com os hospitais que entrarem em contato.

Um novo começo, medicamentos disponíveis

Aos poucos, espera-se que o ritmo de vacinação aumente no Brasil, com a liberação de novos imunizantes e a entrega de doses já encomendadas pelo Ministério da Saúde. Enquanto a maioria da população não for vacinada, as medidas de proteção e distanciamento social devem ser seguidas à risca, para que a situação não se agrave ainda mais. De acordo com Jabez Medeiros, cabe a todos nós somarmos esforços para vencer a pandemia:

“Cada um de nós possui um papel decisivo para retomarmos a uma realidade que perdemos com a disseminação do novo coronavírus pelo mundo. Cidadãos, entidades públicas e privadas precisam se unir para virarmos essa triste página da nossa história. ”

Entrevistado: Jabez Medeiros – Executivo do setor de medicamentos.
Fale direto e saiba mais: https://bit.ly/3fSxFKk

Formulário para Instituições: https://bit.ly/3z1XJKo
[Exclusivo para Hospitais e Instituições]