Nº 1318 ano 2019
Data:

Principal Palmas


“Som na Árvore” chega em sua terceira edição com apresentação internacional da banda “Čao Laru”

Além do grupo “Čao Laru”, a programação conta também com a banda tocantinense “LuaOdara” e o grupo circense “Trupe-Açu”, de Taquaruçu. Também será ofertada uma oficina gratuita que irá ocorrer no período da tarde, na sede da Árvore Seca.

Por: Rafael Miranda/Redação
Publicada em: 09/05/2019 11h36min
Atualizada em: 09/05/2019 12h04min
Foto: Divulgação
Čao Laru é uma banda viajante formada por quatro brasileiros, duas francesas e uma italiana que vem rodando o mundo em uma kombi e motorhome desde 2016.

A Produtora Árvore Seca apresenta nesse sábado, 11, a terceira edição do projeto “Som na Árvore”, dessa vez com show musical inédito da banda “Čao Laru”, conjunto internacional de músicos viajantes formado por quatro brasileiros, duas francesas e uma italiana, e que desde 2016, vem realizando dezenas de apresentações artísticas em mais de 20 países mundo afora, e agora apresentando seu novo álbum “Fronteiras”, lançado em 2019.

Essa terceira edição conta também com a apresentação da banda “LuaOdara” e do grupo circense “Trupe-Açu”, que completam a programação artística para a noite de sábado. A casa estará aberta a partir das 16 horas, onde inicialmente será ofertada uma oficina de música pelos membros da “Čao Laru” e uma roda de conversa sobre o tema produção cultural. A participação na programação durante a tarde é gratuita e voltada para toda comunidade.

Já a partir das 19 horas tem início a abertura do evento, com a primeira apresentação marcada para as 21 horas, com a banda LuaOdara, grupo de artistas tocantinenses e que já desenvolveram trabalhos autorais com as músicas Multilação, Construção em Ré e Ode à Canção e Seus Cantadores, todas disponíveis em plataformas digitais.

Em seguida, começa a apresentação circense da Trupe-Açu, que surgiu no ano de 2010 no distrito de Taquaruçu, e que vem até a Casa da Árvore para apresentar o mundo mágico do circo e da palhaçaria, desenvolvendo uma comicidade única e regional ao público presente.

Čao Laru

Por último, encerrando a noite, a apresentação da banda Čao Laru (pronuncia-se Tchau Larru), composta por Noubar Sarkissan, responsável pelo cavaquinho, violão, pandeiro e voz, Laura Aubry (acordeom e voz), Marie Tissier (violoncelo e voz), Cecilia Iovino (sapateado, dança e voz), Felipe Trez (bateria), Fábio Pádua (flauta, clarinete, violão e bandolim) e Pedro Destro (baixo elétrico).  

O último álbum "Fronteiras” traz referências brasileiras e francesas, que misturam os estilos chacareca, afoxé, samba, o baião e a valsa francesa, e que se somam aos ritmos do leste europeu, hip hop e milonga, com polifonias vocais, combinação entre instrumentos acústicos, elétricos e arranjos que quebram as divisões imaginárias entre gêneros musicais.      

Ingressos

O preço para ingresso no evento custa R$15,00, caso adquirido até as 21 horas, e após esse horário o valor sobe para R$ 20,00. Contudo, aqueles que doarem 1kg de alimento não perecível poderão ganhar desconto de R$ 5,00 no ato da compra, e toda arrecadação será destinada ao projeto @TOINVISIVEL, parceiro da produtora Árvore Seca.

Lembrando que os ingressos podem ser adquiridos na portaria do evento, na quadra 112 sul, próximo à avenida JK, saída para Lajeado, e mais informações podem ser encontradas nas redes sociais da produtora (@arvoreseca e facebook.com/arvoresecaproducoes).

Produtora

A Árvore Seca surgiu em 2015 com o objetivo de fomentar a realização de eventos para a cidade, e desde então foi responsável por diversos projetos, entre eles o Festival Bem Ali, que em outubro desse ano irá para sua sexta edição seguida, e o Happy Stoner Hour, que em 2016 embalou noites com rock n` roll e hambúrguer artesanal no Parque dos Povos Indígenas.

Conhecida como Casa da Árvore, a sede da produtora é um ambiente preparado para a realização de atividades culturais, contando com diversos painéis de grafite, estúdio musical e espaços de convivência.  Nesse ano, o local já foi palco do festival “Som do Formigueiro”, evento que reuniu cerca de 200 pessoas em fevereiro desse ano, com a participação de 10 atrações.

O ”Som na Árvore” por sua vez é um evento musical que tem como objetivo o fomento da cultura alternativa para o público palmense. Com apresentações artísticas de bandas locais - e agora com a oportunidade de um grupo internacional - o projeto traz consigo a diversidade de gêneros musicais em um ambiente personalizado e único dentro da Capital.

Grupo franco-brasileiro irá ofertar oficinas culturais gratuitas para comunidade palmense

Como parte da programação da terceira edição do projeto “Som na Árvore”, os membros da banda franco-brasileira “Čao Laru” irão ofertar gratuitamente uma oficina musical e uma roda de conversa sobre produção cultural na sede da produtora Arvore Seca, começando no período da tarde, na quadra 112 sul, próximo à avenida JK.

A primeira oficina começa pontualmente às 16 horas, e é destinada ao público diverso. O trabalho irá ocorrer através de imersão com um repertorio de músicas e danças tradicionais que o grupo coletou durante suas turnês internacionais, convidando os participantes a brincar, através de jogos musicais, dançar e cantar em polifonia, em idiomas como o francês, iraniano, espanhol e outros, sem esquecer dos aspectos culturais e das tradições que cada um carrega. Não é necessária experiência na área musical para participar.

Já a segunda oficina será com o tema produção cultural, com participação de membros da produtora Árvore Seca e com demais integrantes da Čao Laru, abordando os desafios do fomento de atividades culturais e artísticas na cidade de Palmas.

“Nosso grande desafio é buscar fornecer aquilo que sentimos falta: shows, cultura alternativa e espaços de interação para a juventude da Capital, e desde que começamos esse trabalho, encontramos muitas dificuldades, seja através de incentivo por parte do poder público, patrocínios de empresas e envolvimento de artistas e público em geral”, comentou Fábio Carvalho, produtor cultural da Árvore Seca.

Comentários

Deixe um comentário