Nº 1326 ano 2019
Data:

Principal Câmara Municipal


Diogo Fernandes destaca ação judicial movida pela OAB-TO contra BRK Ambiental

A proposta de ação pública foi iniciativa do Vereador Diogo Fernandes, que levou a discussão ao presidente da OABTO, Gedeon Pitaluga, para o ajuizamento do caso que foi aprovado durante reunião do Conselho da Ordem.

Por: Divulgação
Publicada em: 11/06/2019 16h41min
Atualizada em: 11/06/2019 16h43min
Foto: Divulgação
Vereador destacou que a iniciativa da Ordem é mais um passo dado a favor dos palmenses

Defensor dos palmenses, o vereador Diogo Fernandes exaltou a posição da Ordem dos Advogados do Brasil – OABTO, após anunciar na última sexta-feira, 7, que entrará com Ação Civil Pública contra a empresa BRK Ambiental devido as altas taxas de água e esgoto cobradas da população tocantinense. 

A proposta de ação pública foi iniciativo de Fernandes, que levou a discussão ao presidente da OABTO, Gedeon Pitaluga. O ajuizamento foi aprovado durante reunião do Conselho da Ordem.
 
Para o vereador, a iniciativa da Ordem é mais um passo dado a favor dos palmenses, e mostra que o trabalho desenvolvido junto ao Parlamento para combater as irregularidades cometidas pela empresa, como falta de transparência e má prestação de serviço não ficarão impunes. 

“Além dos valores abusivos operados pela empresa, vimos o descaso com tratamento de esgoto não realizado de forma eficaz, a exemplo do Bertaville e da Praia das Arnos. A BRK é campeã de reclamações no Procon pelo terceiro ano consecutivo, mas agora os consumidores serão respeitados”, ressaltou. 

O vereador ainda destacou a luta que foi travada com a empresa e as conquistas já efetuadas, como extinção dos aditivos 02 e 03 através de decreto legislativo, no contrato de concessão, reuniões realizadas com representantes da BRK e a solicitação de intervenção do município na concessão de água pela inadequação dos serviços prestados. “Solicitei a medida drástica de intervenção diante os abusos nas tarifas e devido ao serviço de má qualidade que os palmenses sofrem. Os consumidores precisam ser respeitados”, explicou Fernandes.

Comentários

Deixe um comentário