Nº 1337 ano 2019
Data:

Principal Setembro Amarelo


Campanha chama atenção para a preservação da vida

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima-se que 800 mil mortes todos os anos tenham como causa o suicídio. Depressão está entre os principais fatores.

Por: Beatriz Oeiras
Publicada em: 09/09/2019 14h17min
Atualizada em: 11/09/2019 15h33min
Foto: Divulgação
Número 188 atende ligação de prevenção ao suicídio

O suicídio tem uma parcela significativa na taxa de mortalidade em geral. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima-se que 800 mil mortes todos os anos tenham como causa o suicídio.

O comportamento suicida ocorre em crianças, adolescentes, e pessoas de todas as idades, raças, crenças, níveis socioeconômicos, acadêmicos, e orientações sexuais. Não existe um perfil típico.
Diante desse quadro de grande vulnerabilidade da vida, desde 2015 existe uma campanha brasileira que tem por intuito sensibilizar e alertar a população sobre os fatores de risco para o comportamento suicida, orientando assim, para o tratamento adequado.

A campanha Setembro Amarelo instituída pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) busca todos os anos trabalhar com ações como palestras, rodas de conversas, caminhadas e outros diversos tipos de eventos e atividades, onde se discute sobre a prevenção ao suicídio e promoção a saúde mental.

Segundo a psicóloga Giselia Nogueira Noleto, abordar essa temática de forma aberta é muito importante, pois permite aprender a escutar atenciosamente o outro, no intuito de ajudar aqueles que precisam. ‘’Não tem como a gente não falar sobre o assunto, precisamos falar sim, em uma maneira de identificar o possível sofrimento do outro’’, conclui Giselia.

Os processos autodestrutivos podem se dar por vários fatores, geralmente associados a depressão, ansiedade, transtorno relacionado ao uso de álcool, esquizofrenia, bipolaridade ou decorrente de um fracasso ou outro evento angustiante, podendo resultar ou não em um ato consumado.

O suicídio consumado é um ato intencional de autoagressão que resulta em morte, já a tentativa de suicídio é um ato de autoagressão cuja intenção é a morte, que acaba não ocorrendo. Uma tentativa de suicídio pode ou não resultar em lesão.

Quando uma pessoa decide tirar a própria vida, é comum que familiares e amigos se perguntem sobre como a situação poderia ter sido evitada. É possível perceber alguns sinais. As dificuldades de concentração, irritabilidade, sentimento de vingança, distúrbios do sono, preocupações, culpa e cobranças, são alguns deles. Também é comum que a pessoa repita algumas frases que deixam no ar a possibilidade de ela não estar mais ali nos próximos dias. Tais como “quero sumir”, “não consigo mais aguentar isso”, “estou cansado da vida, não quero continuar”.

Se colocar à disposição pode ser uma boa forma de preservar a vida do outro. Além disso, é importante incentivar que a pessoa procure ajuda de profissionais da saúde, tais como, psicólogos, psiquiatras, dentre outros profissionais da área da saúde. As ligações de prevenção de suicídio podem ser feitas para o Centro de Valorização da Vida (CVV), por meio do número 188.

Comentários

Deixe um comentário