Nº 1334 ano 2019
Data:

Principal Leite Materno


Agosto Dourado reforça importância da doação

A campanha destaca durante o mês, o leite materno como o alimento essencial nos primeiros seis meses do recém-nascido, podendo se estender até os dois anos ou mais.

Por: Beatriz Oeiras / Redação
Publicada em: 12/08/2019 15h34min
Atualizada em: 14/08/2019 14h34min
Foto: Arquivo pessoal
Toda mãe que amamenta pode ser uma doadora de leite

Com o tema “Capacite os pais e permita a amamentação, agora e no futuro! ”, o mês de agosto busca incluir os pais e conscientizar sobre a amamentação. Anualmente, as discussões são definidas pela WABA (World Alliance for Breastfeeding Action), onde são lançados materiais informativos. Em Palmas, campanha é realizada pelo Banco de Leite do Hospital e Maternidade Dona Regina.

Segundo indicadores de consumo alimentar, crianças de até dois anos acompanhadas no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN-WEB/MS), conforme dados de 2017, mostram que no Tocantins apenas 38% das crianças menores de seis meses estão em aleitamento materno exclusivo, enquanto no Brasil corresponde a 56%;. Quando se trata do indicador de Aleitamento Materno Continuado de até dois anos ou mais no Brasil é de 51% e no Tocantins é 50%.

O contato materno é fundamental, mas a realidade de muitas mães pode ser outra. Algumas mulheres têm muita dificuldade de levar a amamentação adiante e sofrem com a pressão ou frustração. Através desse apoio a doação de leite materno é importante. Ela ajuda a salvar a vida de milhares de recém-nascidos prematuros, de baixo peso que ficam internados, e que não podem ser amamentados pelas próprias mães, ou por outros fatores.

De acordo com a responsável pelo Banco de Leite do Hospital e Maternidade Dona Regina, em Palmas-TO, Walkiria Pinheiro, os benefícios da amamentação são inúmeros, não só para o bebê, mas para a mãe também, pois previne alergias, infecções e uma série de outras doenças.
“Temos um número expressivo de doadores, em torno de 140 cadastradas para a coleta domiciliar. No entanto, essas doações são esporádicas. Temos doadoras que doam toda semana, tem aquelas a cada 15 dias, outras doam uma vez por mês, e outras demoram mais que isso. Então apesar do número, o nosso estoque ainda é insuficiente para atender nossos bebês’’, afirma Walkiria.

Toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite materno. As mães que possuem produção de leite em excesso podem ligar no Banco de Leite para serem cadastradas como doadora. No Tocantins a rede funciona em três postos, localizados nas cidades de Araguaína (Hospital Dom Orione), Gurupi (Hospital Regional de Gurupi) e em Palmas (HMDR). Além desses, existem bancos de coleta que funcionam no Hospital Materno Infantil Tia Dedé, em Porto Nacional e no Hospital Regional de Paraíso do Tocantins.

Segundo a secretaria de saúde do Tocantins dentre os pré-requisitos indispensáveis para as mães doadoras, destacam-se não estar tomando medicamentos que impeçam a doação, não consumir drogas ou bebida alcoólica e não fumar mais de 10 cigarros por dia. A principal importância desse trabalho é contribuir para a redução da mortalidade infantil. As doadoras podem se cadastrar e obter mais informações através do telefone 0800 646 8283 ou 3218-7734.

Comentários

Deixe um comentário